Cinemateca do Rafa (1)

De Rafa Lima

7 filmes imperdíveis nada óbvios (em dvd)

. Boa noite, boa sorte
Direção – George Clooney
Como sócio fundador e um dos membros ativos da George Clooney´s most desirable bachelors school quero iniciar a minha cinemateca por um sensacional trabalho de direção e atuação do mestre, atmosfera noir na redação de TV durante a paranóia anticomunista do senador McCarthy, crítica ferrenha à pasmaceira da sociedade recém-televisiva, defesa veemente da liberdade de expressão, análise de diversos níveis de censura social, inclusive a autocensura, combate ao fanatismo com diálogos preciosos, espetáculo para quem sente falta de confrontamento de idéias em tempos de pensamentos fastfood!

. A felicidade não se compra (It´s a wonderful life)
Direção – Frank Capra (1946)
Já pensou em se matar? A sua vida anda um lixo? A proposta existencial dessa tragicomédia romântica fora do comum é imaginar o que seria do mundo se o personagem de James Stewart, um homem de sonhos desfeitos cuja existência só piora, não houvesse vivido além da infância, como mudariam os eventos ao redor, como afetaria àqueles que cruzaram o seu caminho (afetuosamente ou não), não há sentimento de derrota que sobreviva diante da força desse clássico imbatível, tanto amor à vida, tanta vontade de ir além, mas às vezes não dá, ok?, é a vida, o que sobra?, de vez em quando, muito mais. Só melhora. Até hoje, o meu filme favorito.

. Cloverfield
Direção – Matt Reeves/Roteiro – Drew Godard
Filme de ação com inteligência? Quase um paradoxo, atualmente, mas não é o caso aqui, sagacidade boladona, Nova York diante de uma ameaça monstruosa, que na verdade não importa muito, pois o que conta é a linguagem da narrativa, a sobreposição de dois tempos diferentes, o amor e o horror, o ritmo, show de direção, mais um inventivo trabalho do pessoal da Bad Robot (a mesma do seriado Lost).

. Festa de família
Direção – Thomas Vitenberg (1991)
A família ainda é a instituição mais celebrada e defendida da humanidade, aqui vem a facada no coração de nossa civilização, Lars Von Triers que vá se catar, mas nada do que ele fez se compara à obra do companheiro de movimento (o tal do Dogma – nada a ver com o filme do Kevin Smith), duvido que você não se afete de verdade com esse filme aqui.

. E la nave va
Direção – Federico Fellini (1983)
Imagine um Titanic alucinógeno com cantores de ópera, militares, a alta classe, ciganos e um rinoceronte, até aí tudo bem, certo?, mas dê essa receita na mão do Fellini, sonho, delírio, vida? Ridi pagliaccio! Fellini-se, sempre, sempre! Obra-prima, não custa lembrar.

. Amores brutos (Amores perros)
Direção – Alejandro González Iñárritu/Roteiro – Guillermo Arriaga
A mesma dupla depois foi para Hollywood e criou 21 gramas e Babel, mas nenhum dos dois se compara ao dilaceramento proposto por Amores brutos, na verdade, amores cães, é uma porrada atrás da outra, e nós, hipnotizados, vemos o erro enquanto guia tirar cada uma das pétalas do sonho de uma vida feliz comum, seja a dois, seja em família, como os cães aqui as pessoas devoram porque a mordida vem de dentro, fodaço!

. Além da linha vermelha (The thin red line)
Direção – Terrence Malick (1998)
Ao contrário dos manjados filmes de guerra onde a ação é determinate, a batalha entre americanos e japoneses em Guadalcanal durante a Segunda Guerra não interessa tanto quanto o que se passa na mente dos soldados, anseios, medos, revoltas, total incerteza, subjugados ao acaso de missões de propósito duvidoso, aqui conta o elemento humano acima de tudo, a guerra enquanto entidade sem bandeira, sem lados, que devora o que vem pela frente e desperta a maldade humana, autopreservação pela autodestruição, a descrença distribuída no lugar da água que falta, exceto na relação sensorial de libertação quase espiritual com o ambiente ao redor despertada no soldado Witt, filmaço, uma borboleta azul no meio do pelotão que avança amedrontado, elencão, Jim Caviezel (Witt), Sean Penn, Nick Nolte, Ben Chaplin, Elias Koteas, John Cusack, Woody Harrelson, Adrien Brody, John C. Reilly, Jared Leto, com participações de John Travolta e no finzinho do mestre George Clooney, para quem gosta de cinema mais do que a maioria e aprecia (porque melhor na tela do que na vida) filmes de guerra (com sensibilidade e inteligência).

... Qual filme você gostaria de ver comentado? Em breve, mais Cinemateca do Rafa.

22 comentários:

Rafa disse...

Mais filmes da CINEMATECA DO RAFA em breve, para quem gosta de futebol, veja os comentários ágeis e irônicos de FUTEBOLÉ, sem falar na parte 5 de MEU BEBÊ que chega ao fim em breve.

Anônimo disse...

oi rafa. cara ja que vc manja bastante, podia fazer umas listas de filmes por genero ou assunto, qq c acha ? ia ser super util pra mim , os mehores road movies de todos os tempos, os melhores suspenses envolvendo florestas, as melhres comédias que se passam em Chicago, os melhores romances com piscinas etc etc

manu

Anônimo disse...

eu dei exemplos aleatorios ta

manu

Rafa disse...

tipo listas surreais , top 10 insanos, do Alta Fidelidade?, Beijo, Manu. Vou elaborar a idéia.

Bruno disse...

Quem nunca chorou com "A Felicidade não se compra" não é homem de verdade...

Bruno disse...

Rapaz, todos esses filmes são fodas. Ok, ainda acho Fellini mala. Qq dia dou outra chance pro rapaz italiano :P
Amores perros é bruto mesmo. Mas tb adoro 21 gramas e acho q tao num nivel bem proximo. Babel é q ta bem abaixo. Abra espaço pras minhas referencias de vida: Kubrick, Woody e Monty Phyton :)

Anônimo disse...

Adorei! Impossível te conhecer e não assistir "A felicidade não se compra".
beijo
Ju

Dizinha disse...

Felicidade nao se compra está entre os meus 5 favoritos... Amores Brutos, maravilhoso!!! e Cloverfield(é assim q se escreve?) está na lista do "alugar".

Bjks

Rô disse...

Gostei dos comentérios dos filmes, com muita irreverência, como sempre, isso é que é bom, minha vênus em sagitário ama! Vi um filme esta semana que chama "A Viagem de Chihiro". Sinto que perdemos muito da interpretação, o filme tem muitas referências culturais, daquelas tipo lendas e historinhas que nos contam quando somos crianças e que faz parte de um universo cultural muito particular.Assista e depois me diga o que achou.Beijins...

Rafa disse...

Bruno, o Kubrick, o Woody e os Monty Phythons deveriam estar nessa primeira lista, mas preferi ser menos direto em relação aos meus gostos de autores, preferi escolher obras menos conhecidas, mas em breve estarão aqui.

Rafa disse...

Rô, por incrível que pareça, a Viagem de Chihiro, a animação japa, está na minha lista de comentários, me amarro muito, tem uma leveza existencialista (se isso é possível) como subtexto!

Ju, você me conhece muito bem.

Dizinha, vê Cloverfield!

José Raphael disse...

Grande xará!!!!

Meu caro, tenho me divertido com seu blog!! Vou tentar ver os filmes q nao vi da sua lista (Amores Brutos eh demais mesmo e, concordo, bem melhor que os os dois). Se um dia tiver a oportunidade, veja Lylia Forever, um filme russo que esta em festivais aqui na Europa. Não sei bem se eh um grande filme, quem sou eu, mas eh uma porrada muito bem dada na boca do estômago e trata de um assunto muito real para os brasileiros. Quer dizer, para as brasileiras... Na verdade, nao vê essa porra não, eh só desgraça. Se bem que vale pela qualidade cinematográfica. Mas deprime. Ah, sei la, tô confuso!! Tá vendo, culpa do filme, não veja! rsrsrs

Abraço, rapá!

OBS: Teu time eh uma merda, hein?! VOLTA EURICO! (calma, eh brincadeira...)

diana damasceno disse...

Comente Tudo sobre minha mãe, do Almodovar. Nada pessoal .....

Diana Gondim disse...

oi meu xuxu!!

ando sumida mas li hoje tudinho numa tacada só, ui! Deixo um comentário geral aqui pra não ficar (mais) despedaçada:

- o que diabos vai acontecer com Alice? Oh meu deus! Acho que prefiro comentar mais desse ao vivo.

- futebolé: desculpe, esse não deu pra ler, nao entendo nada!

- cinemateca: oba, alguns eu já vi! Coloquei amores brutos na minha lista para alugar urgente. Vou chorar? nhe..

beijocas gatinho!

Bruno disse...

Vi Cloverfield ontem. Irado!!!!

Camila disse...

BRILHO ETERNO DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇA - Nunca vou me esquecer o dia que você me deu de aniversário... ainda não conseguimos falar sobre ele, né? Já vi muitas vezes e em cada uma tenho sensações diferentes. Queria saber as suas. Aquele cabelo colorido tem a ver com o meu momento. Ou será que sempre teve?
Comenta ensaio sobre a cegueira? Ou aquele sobre a Velha Guarda da Portela, com a Marisa Monte que eu esqueci o nome? Pode ser na mesa de bar comigo, depois de assistirmos juntos com um baldão de pipoca?
Luv, sis.

Mari disse...

engraçado... desses não gosto de boa noite, boa sorte. acho sem sal. todos os outros são ótimos. felini é mestre!

nenhum do cinema oriental ainda. oldboy doesnt ring a bell?

beijos

Ruffles Leema disse...

pretendo aos poucos atender aos pedidos, oldboy, foda, brilho eterno dilacera,aliás, vale muito a pena ver o Ensaio sobre a cegueira, li o livro duas vezes e ainda assim me surpreendi. Quem ainda não viu a reação do Saramago ao fim da pre-estréia, vai aqui
http://www.youtube.com/watch?v=Y1hzDzAvJOY
Em breve, mais CINEMATECA DO RAFA, aproveitem-me, ho, ho, ho, hi, hi, hi, ha, ha, ha

Camila disse...

Boooaaa... Oldboy realmente me conectou com o meu lado louco... muuuuito bom! Bem lembrado.
Quanto ao Saramago ao final da pré-estreia... definitivamente o silêncio diz mais que mil palavras... me emocionei muito! Obrigada!

Alice disse...

Adorei a cinemateca do Rafa, vai ter sempre? Os filmes que você escolheu são muito bons, pelo menos os que vi, e o cinema francês? Beijo.

Anônimo disse...

Rafaaaa!! Como vai meu amigo!!? Diretamente aqui do Canadá para dizer que seu blog esta foda, mas a cinemateca...tipo assim, é tudo que eu precisava!!! Muitooo obrigadooo! Não sei se vc viu, mas nos ultimos tempos o filme que nao me sai da cabeça um só segundo é Into the Wild, do Sean Penn. Acho incrível, e que ironia não? Agora estou aqui, pertinho do wild...as vezes me dá uma vontade enorme de fazer como o protagonista e pegar a estrada pro Alasca! Penso SERIAMENTE nisso.
Um enorme abraço!! E continue com mais filmes!! Mês q vem volto rapido ao Brasil, vamo beber no cafezinhooo!!! Ahh, só pra dizer q tb vi essa semana Mamma Mia! (gostei, muito divertido e a Meryl Streep só rejuvenesce, impressionante) e em breve verei Burn After Reading, ai te digo o q achei...

Cadu

MariMazzoli disse...

Lá foi a Mariana à locadora e alugou 3 dos 7 filmes comentados aqui (quanta credibilidade, hein, Rafa?)

Terminei fascinada por "también somos lo que hemos perdido" (Amores Brutos), cantarolando "... can't you come up tonight and dance by the light of the moon?" (A felicidade não se compra) e pensando... "cadê a Cinemateca 2 do Rafa?"

Tic-tac-tic-tac... (esperando!)

"Thanks for the wings!
Love, Mari"